Blog

Vantagens do uso de Solução de Hipoclorito de Sódio na Cloração

A pós-cloração é uma etapa primordial para a garantia de uma água livre de micro-organismos patogênicos. Essa etapa, realizada no final do tratamento de água, inativa os patógenos que não foram eliminados nas etapas anteriores e tem ainda a função de garantir água isenta de micro-organismos por toda rede, até que ela chegue ao consumidor.

A escolha de um desinfetante para água de abastecimento público depende:

  • Da eficácia em inativar os diferentes micro-organismos patogênicos, sob condições normais de operação;
  • Da capacidade de assegurar teor residual;
  • Características que possam ameaçar pessoas e ambiente durante a sua aplicação e depois;
  • Segurança de manuseio, estocagem e transporte;
  • Custo;

Dentre os métodos de desinfecção disponíveis, a cloração é o método que atende a estas características para utilização em estações de tratamento de água. Outros métodos, como ozônio ou radiação UV, são bastante eficazes em relação à ação desinfetante. No entanto, não apresentam ação residual e seu custo ainda é alto.

A cloração é o método mais antigo e o mais utilizado em muitos países. A garantia de seu êxito é devido à sua disponibilidade, baixo custo, eficiência na ação desinfetante, ação residual e boa persistência nos sistemas de distribuição.

O cloro é encontrado facilmente disponível nas formas gasosa (Cl2), líquida (hipoclorito de sódio) e sólida (hipoclorito de cálcio). A forma gasosa apresenta alta solubilidade em água, entretanto, têm a desvantagem por ser um gás tóxico, irritante e corrosivo. O cloro gasoso é perigoso mesmo em baixas concentrações no ar como 0,1% em volume. Por este motivo, o uso do cloro na forma gasosa requer rígidas normas de segurança para condições de armazenamento e preparo, além de demandar cara estrutura preventiva. Sua aplicação na água requer o uso do clorador a vácuo, que é um aparelho responsável pela dissolução do gás na água.

Hipoclorito de cálcio

hipoclorito de cálcio é bastante prático para ser manipulado na forma em pó ou pastilhas. No entanto, um dos subprodutos de sua reação com a água é a formação de hidróxido de cálcio que favorece a formação de incrustações em equipamentos e tubulações. Na forma sólida, a poeira é irritante aos olhos e vias nasais. Outros riscos se referem à possibilidade de incêndio em contato com matéria orgânica, podendo ser explosivo quando aquecido repentinamente a temperaturas acima de 100 oC.  Existe também o risco de geração de cloro gás se o recipiente estiver aberto em lugar fechado, quente e úmido.

Hipoclorito de sódio é relativamente inofensivo por não apresentar riscos de vazamento de gás tóxico. Dentre os desinfetantes disponíveis tende a ser o de menor custo. Seu manuseio é mais fácil, sendo necessária apenas a prévia diluição para adição ao tratamento de água, sendo efetivo mesmo em altas diluições. Apresenta facilidade de preparo de soluções e utilização, e suas concentrações são facilmente determinadas. Estas vantagens justificam seu uso principalmente por sua maior segurança no armazenamento e preparo.

A substância é um composto de fórmula química NaClO. Encontrado na forma líquida, é  solúvel em água, não-inflamável, fotossensível, de fácil oxidação e decomposição, além de liberar gases quando em contato com ácidos.

Ácido hipocloroso

A ação desinfetante do NaClO se deve à formação de ácido hipocloroso quando dissolvido em água. A substância reage com a água formando ácido hipocloroso e hidróxido de sódio.

O ácido hipocloroso pode se dissociar formando o íon hipoclorito de acordo com o pH da água, de acordo com a reação abaixo. A pH 5 ou abaixo, não ocorre a dissociação do ácido hipocloroso, ou seja, é encontrado 100% na forma de HClO. A valores de pH normais de tratamento de água, o ácido hipocloroso se dissocia e em pH 7,5 50% do HClO é convertido em íon hipoclorito (ClO). A pH 10 ou superior, todo o cloro é convertido em íon hipoclorito.

O ácido hipocloroso HClO é o agente mais ativo na desinfecção, sendo o íon hipoclorito menos ativo. Após ser consumido pelos processos oxidativos, o ácido hipocloroso e íon hipoclorito remanescentes permanecem na água assegurando uma ação desinfetante conhecida como cloro residual livre. A presença do cloro residual na concentração mínima de 0,2 mg/L é obrigatória em todo o sistema de distribuição da água tratada destinada ao consumo pela população.

A solução a base de substância, que contem maior teor de peróxido de hidrogênio em relação as demais alternativas, é capaz de realizar as funções oxidativas e de residual com melhor desempenho. Como exposto acima, o peróxido age mais rápido que o cloro, possibilitando maior estabilidade de residual na rede de distribuição.

A única alternativa que proporciona tais benefícios é o GERADOR DE NaClO IN LOCO. A produção e dosagem contínua e automatizada de solução oxidante (que contém peróxido de hidrogênio e hipoclorito de sódio) pode ser utilizada na pré e na pós cloração de forma segura e eficiente. Outro ponto de destaque é a linearidade do teor da solução. Esta característica é possível porque a produção e aplicação é constante. Em relação à segurança não há quaisquer riscos, uma vez que o hipoclorito encontra-se em baixas concentrações e a operação é automatizada, sem contato dos operadores com o produto químico.

Fonte: Tratamento de Água

Comment (1)

  • instagram türk takipçi satın al

    Hello there, I discovered your website by way of Google
    even as searching for a related subject,
    your site got here up, it seems good. I have bookmarked it in my google bookmarks.

    Hello there, just changed into aware of your weblog via Google,
    and found that it is truly informative. I’m going to watch out for brussels.

    I will be grateful when you continue this in future. Lots of other people might be
    benefited from your writing. Cheers!

    8 de março de 2021 at 18:29

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.